sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

31 dezembro adeus dois mil e dez




depois de alguns dias de refúgio internado neste quarto de motel, ouvindo raul seixas, sérgio sampaio, adriana calcanhoto, luiz melodia, itamar assunção e edvaldo santana, para desintoxicar a visão e os tímpanos sem me preocupar com juras e promessas, adeus dois mil e dez, amanhã um outro dia e uma mulher como nova estrela guia, revisito o que já disse no poema:

o amor é um lance de dados
a vida um jogo de risco
baralho de cartas marcadas
no olho do cão do corisco
a sorte um lance de dedos
meu trunfo uma dama de espadas
a luz do sol meu aedo
numa oração são Francisco
quando a jura secreta é lacrada
teus olhos no cais meu segredo

é dando que se recebe
perdoando que se é perdoado
salário mínimo é pecado
aos olhos de deus serAfim
na minha escola de samba
Mallarmé dançou samba-enredo
com a morena de angola e Benin

yemanjá nasceu de uma estrela
nas ondas do mar meu brinquedo
conchas de ouro e marfim
a vida um lance de dados
quando o amor não cabe entre os dedos
ultrapassa paredes cancelas
todo mato no quintal
pode ser pleno jardim
toda flor uma flor florisbela
stella em tua janela ainda sonha por mim

arturgomes
http://musadaminhacannon.blogspot.com




brazilian motel

na janela miro o horizonte para o nada
não ouço tua voz o rádio não me escuta
na vitrine o poema não muda tua face
e a bailarina de louça não muda
neste quarto de motel
o telefone não toca
a tv não fala
cobras e lagartos embaixo os corredores
baratas sob meus lençóis
formigas arranham o meu rosto
nas paredes aranhas tecem a teia do amanhã
:
são 5 horas: madrugada
o barco bêbado continua na calçada
fora do teu cais
as aves de rapina ainda rondam nos telhados
os ratos já roeram as roupas do palácio
as flores do cerrado continuam a desaparecer
alice agora sonha no meu colo
e o país ainda demora amanhecer

arturgomes
http://goytacity.blogspot.com

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

A língua afiadíssima de João Pedro Stédile



por Luiz Carlos Azenha

A convite do Igor, do MST, passamos um sábado agradabilíssimo na Escola Nacional Florestan Fernandes, em Guararema, no interior de São Paulo. Eu e as colegas Conceição Lemes e Conceição Oliveira testemunhamos o encontro nacional dos amigos do Movimento dos Sem Terra.

Um lugar muito bacana, onde acompanhamos um debate sobre os principais temas contemporâneos: os venenos nos alimentos, a (inexistente) reforma urbana, a inclusão social de negros e indígenas.

João Pedro Stédile fez um balanço de 2010 e estava com a língua afiadíssima:

“O PIB da felicidade do paulistano é se vangloriar: passei duas horas num puta congestionamento”.

“Vinte e cinco por cento de todo o veneno usado na agricultura é disseminado por aviões [prática proibida em vários países]. Mata tudo. Mata passarinho, mata inseto, até anjo já morreu”.

“Das terras aráveis brasileiras, 75% são utilizadas por três produtos. É cana para o etanol que abastece os automóveis. É milho e soja para as vacas europeis. E nós ficamos com a merda [da poluição causada pelo monocultivo da cana]“.

“Tome leite do MST que você cresce mais [sobre a produção de leite em Andradina, no interior de São Paulo]. Vai com uma gota de ideologia. A ABIN ainda não descobriu isso, mas é assim que a gente está produzindo esquerdistas”.

Durante o encontro, Stédile anunciou a paridade de gênero nos cargos de coordenação do MST e a decisão de que todo militante do movimento deverá obrigatoriamente estar matriculado em algum curso de formação.

Mais tarde, o deputado Paulo Teixeira (PT-São Paulo) brincou com Stédile: “Quando ele morrer, daqui há 60 anos, vai ser preciso um caixão para enterrar a língua”. Teixeira informou que, ao contrário do que temiam os presentes, não deverá haver votação da reforma do Código Florestal na próxima terça-feira, em Brasília. Tudo indica que o assunto será adiado para 2011.

Clique aqui para ouvir a entrevista que fizemos com o Stédile antes da eleição, na qual ele expõe a moderníssima pauta do MST.

Blogueiros progressistas do RJ debatem papel da blogosfera na conjuntura política atual

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Quartas Culturais - Cantinho do Poeta

Rua Cardoso de Melo, 42
Campos dos Goytacazes-RJ
Leia mais aqui http://artur-gomes.blogspot.com

Para arrasar neste verão e Avançcos em cirurgia do joelho
Leia mais aqui http://mania-de-saude.blogspot.com

Dia 15 dezembro 2010 – 21:00hs
Quartas Culturais – Cantinho do Poeta
Rua Cardoso de Melo, 42 –
Campos dos Goytaczes-RJ
Mas Sarau o Benedito
Uma homenagem a Elis Regina
Direção: Aucilene Freitas



Como Nossos Pais
Composição: Belchior

Não quero lhe falar
Meu grande amor
Das coisas que aprendi
Nos discos...
Quero lhe contar
Como eu vivi
E tudo o que
Aconteceu comigo
Viver é melhor que sonhar
E eu sei que o amor
É uma coisa boa
Mas também sei
Que qualquer canto
É menor do que a vida
De qualquer pessoa...
Por isso cuidado meu bem
Há perigo na esquina
Eles venceram e o sinal
Está fechado prá nós
Que somos jovens...
Para abraçar meu irmão
E beijar minha menina
Na rua
É que se fez o meu lábio
O seu braço
E a minha voz...
Você me pergunta
Pela minha paixão
Digo que estou encantado
Como uma nova invenção
Vou ficar nesta cidade
Não vou voltar pr'o sertão
Pois vejo vir vindo no vento
O cheiro da nova estação
E eu sinto tudo
Na ferida viva
Do meu coração...
Já faz tempo
E eu vi você na rua
Cabelo ao vento
Gente jovem reunida
Na parede da memória
Esta lembrança
É o quadro que dói mais...
Minha dor é perceber
Que apesar de termos
Feito tudo, tudo, tudo
Tudo o que fizemos
Ainda somos os mesmos
E vivemos
Ainda somos os mesmos
E vivemos
Como Os Nossos Pais...
Nossos ídolos
Ainda são os mesmos
E as aparências
As aparências
Não enganam não
Você diz que depois deles
Não apareceu mais ninguém
Você pode até dizer
Que eu estou por fora
Ou então
Que eu estou enganando...
Mas é você
Que ama o passado
E que não vê
É você
Que ama o passado
E que não vê
Que o novo sempre vem...
E hoje eu sei
Eu sei!
Que quem me deu a idéia
De uma nova consciência
E juventude
Está em casa
Guardado por Deus
Contando seus metais...
Minha dor é perceber
Que apesar de termos
Feito tudo, tudo, tudo
Tudo o que fizemos
Ainda somos
Os mesmos e vivemos
Ainda somos
Os mesmos e vivemos
Ainda somos
Os mesmos e vivemos
Como Os Nossos Pais...
Nanananã! Naninananã!
Nanananã! Naninananã!
Hum!...

VeraCidade


Porque trancar as portas
tentar proibir as entradas
se eu já habito os teus cinco sentidos
e as janelas estão escancaradas?
um beija flor risca no espaço
algumas letras de um alfabeto grego
signo de comunicação indecifrável
eu tenho fome de terra
e este asfalto sob a sola dos meus pés:
agulha nos meus dedos

quando piso na Augusta
o poema dá um tapa na cara da Paulista
flutuar na zona do perigo
entre o real e o imaginário:
João Guimarães Rosa Martins Fontes Caio Prado
um bacanal de ruas tortas
eu não sou flor que se cheire
nem mofo de língua morta
o correto deixei na cacomanga
matagal onde nasci
com os seus dentes de concreto
São Paulo é quem me devora
e selvagem devolvo a dentada
na carne da rua aurora

Artur Gomes
http://goytacity.blogspot.com

sábado, 11 de dezembro de 2010

Porque hoje é sábado

agora não se fala nada
agora não se fala mais
toda palavra guarda uma cilada
e tudo é transparente em cada forma

você não precisa me dizer
o número do mundo desse mundo
nem precisa me mostrar a outra face
face ao fim de tudo

só precisa me dizer
o nome da república dos fundos
o sim do fim
e o tem do tempo vindo

Dia D

desde que eu saí de casa
trouxe a viagem de volta
cravada na minha mão
interrada no meu umbigo
dentro fora assim comigo
minha própria condução

todo dia é dia dela
pode ser pode não ser
abro a porta ou a janela
todo dia é dia D

há urubus nos telhados
a carne seca é servida
um escorpião encravado
na sua própria ferida
não escapa
só escapo pela porta de saída

todo dia mais um dia
de amar-te a morte morrer
todo do mais um dia
menos dia dia D

torquato neto


Quartas Culturais - Cantinho do Poeta
Rua Cardoso de Melo, 42
Campos dos Goytacazes-RJ
Leia mais aqui http://artur-gomes.blogspot.com/

Porrada llírica



Dia 15 dezembro 2010 – 21:00hs
Mas Sarau o Benedito
Uma homenagem a Elis Regina
Direção: Aucilene Freitas

Fulinaimagem

1

por enquanto
vou te amar assim em segredo
como se o sagrado fosse
o maior dos pecados originais
e a minha língua fosse
só furor dos canibais

e essa lua mansa fosse faca
a afiar os versos que inda não fiz
e as brigas dde amor que nunca quis
mesmo quando o projeto
aponta outra direção embaixo do nariz
e é mais concreto que a argamassa do abstrato

por enquanto
vou te amar assim adimirando o teu retrato
pensando a minha idade
e o que trago da cidade
embaixo as solas dos sapatos

arturgomes
http://goytacity.blogspot.com/

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

FULINAÍMA - SAX, BLUES E POESIA






Ficha Técnica
Gravado entre Junho de 1999 a Janeiro de 2002 nos estúdios :
Sonarte e Star Music (Campos-RJ) e Magic Studio (São Paulo-SP)

Arranjos :
Luizz Ribeiro, Dalton Freire, Naiman e Reubes Pess
Produzido por Artur Gomes & Fulinaíma

Artistas :
Artrur Gomes, Naiman, Luizz Ribeiro, Reubes Pess, Dalton Freire,
Betinho Assad, Marcelo Teteco, Sérvulo Sotto, Ângelo Nani,
João Felipe, Beto Mei e Faíco Araujo.

FULINAÍMA
SAX, BLUES E POESIA
(2002)

Músicas :

01 - Nostra-Damus - (Luizz Ribeiro)
02 - Tecidos Sobre A Pele - (Artur Gomes, Luizz Ribeiro, Dalton Freire)
03 - Noite Escura-Terra de Santa Cruz - (Artur Gomes, Reubes Pess, Betinho Assad)
04 - Goitacá Boy - (Naiman, Luizz Ribeiro, Reubes Pess)
05 - Marca Registrada - (Luizz Ribeiro)
06 - Estridentes-Alucinações Interpoéticas-Baby É Cadelinha - (Artur Gomes, Naiman, Dalton Freire)
07 - Boca do Inferno - (Luizz Ribeiro, Artur Gomes, Ângelo Nani)
08 - Baby É Cadelinha - (Naiman, Dalton Freire)
09 - La Vie En Blue-Black Billy-Carne Proibida-Pessoa - (Luizz Ribeiro, Artur Gomes, Sérvulo Sotto, Beto Mei)
10 - Esfinge I - (Reubes Pess, Luizz Ribeiro)
11 - A Cor da Pele - (Luizz Ribeiro, Artur Gomes)
12 - Esfinge II - (Artur Gomes, Luizz Ribeiro)
13 - Pela Janela - (Luizz Ribeiro, Sérvulo Sotto, Beto Mei)
14 - Eu e Você - (Reubes Pess, João Felipe, Faíco Araujo)
15 - Black Billy-Jazzfree Som Balaio - (Artur Gomes)

Baixe Aqui :
http://www.4shared.com/file/AOEo6xk4/Fulinama-SaxBluesPoesia.html

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Mostra Cine Vídeo Teatro Poesia

Dia 8 dezembro – 21:00hs
Curadoria: Artur Gomes

Quartas Culturais - Cantinho do Poeta
Leia mais aqui http://artur-gomes.blogspot.com

Na próxima quarta 8/12 no Cantinho do Poeta, começo a Mostrar minhas travessuras com áudio visual pelas bandas do leste, sul, norte oeste. São registros de viagens, flagrantes de momentos, poesia e teatro de improviso. Essa caminhada teve início em 2007, quando a convite de Jiddu Saldanha, fui para Cabo Frio ser sabatinado no evento saberes e sabores nômades, realizado em seu Ateliê D´Aroeira.

Na época eu tinha um simples câmera digital fotográfica, com um espaço mínimo de memória, assim mesmo nos aventuramos pelas praias, canais becos vielas, filmando um tempo máximo de 11 minutos, (que era o que a câmera suportava) e voltávamos a casa para baixar os arquivos no computador, e liberar a câmera para mais 11 minutos de peripécias.
E assim surgiu a nossa primeira parceria áudio visual: TROPICALIRISMO


Conheci o Jiddu Saldanha, durante a ECO 92, ele chegando ao Rio de Curitiba, sua cidade natal e hospedado na casa do nosso casal de amigos Samaral e Lúcia Nobre. Desde daí, começou a nossa parceria, primeiro a través do Urbana, fanzine poético editado por Samaral, espaço para toda produção da poesia carioca contemporânea.

De 1996 prá cá, quando começamos a nos encontrarmos anualmente no Congresso Brasileiro de Poesia em Bento Gonçalves, começarmos a confabular outras peripécias, as primeiras foram as mil e umas edições da Poesia na Quarta Capa, depois seus shows de mímica abrindo algumas edições do FestCampos de Poesia Falada.

Além das parcerias com o Jiddu, mostro 3 curtas realizados em parceria com outro grande amigo, Márcio Vaccari, meu brother do Núcleo de Produção Áudio Visual Casa Cenográfica de Taubaté.

Os Filmes dessa primeira Mostra:

Uma Viagem do Pontal ao Cantinho do Poeta
Duração: 15:40 minutos

Com Quantas Metáforas se Faz Uma Miragem
Duração: 23:00 minutos

Oficina Experimental 1 e 2
Duração: 18:00 minutos

Alguma Poesia
Duração: 5 minutos

Vozes Urbanas na Noite de Taubaté
Duração: 12:00 minutos

Dia 15 dezembro 2010 – 21:00hs
Mas Sarau o Benedito
Uma homenagem a Elis Regina
Direção: Aucilene Freitas

cardio.grafia da pele

que esta palavra bendita
não seja dor
quando mal dita

como espinha quando aflora
ou espora
enquanto irrita

minha cardio.grafia
em suma
não é pena nem pluma
apenas palavra que resuma
o silêncio como agora
ou sonora quando grita

arturgomes
http://artur-gomes.blogspot.com

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Mostra Cine Vídeo Teatro Poesia

Coordenação: Artur Gomes
Dia 8 dezembro – 21:00hs
Quartas Culturais – Cantinho do Poeta
Rua Cardoso de Melo, 42
Campos dos Goytacazes-RJ



Dia 15 dezembro 21:00hs
Mas Sarau O Benedito?
Homenagem a Elis Regina
Direção: Aucilene Freitas

Jura secreta 89

a face oculta da maçã
duas partes que se abrem:
pêssego
campos de girassóis teus pêlos
alvoroçados sob o sol de Amsterdan
enquanto isso em teus mamilos penso
o que ainda não comi desta maçã

artur gomes
http://artur-gomes.blogspot.com

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

PARA NÃO VIRAR UM IRAQUE

Laerte Braga

É inegável que o atual governador do Rio Sérgio Cabral decidiu enfrentar o crime organizado, o tráfico de drogas especificamente. Mas é preocupante constatar que o aparelho policial é em boa parte corrupto e ao longo de muito tempo vem favorecendo e sendo cúmplice do crime. É despreparado para ações de grande envergadura (exceto quando trata de professores reivindicando melhorias salariais, movimentos sociais buscando reforma agrária, etc).

Esse despreparo não é só conseqüência de baixos salários e falta de estrutura, é de corrupção também. Não é da natureza das forças armadas intervir em conflitos dessa natureza, mas o apoio emprestado pelas três armas tornou possível que as polícias militar e civil do Rio de Janeiro viabilizassem operações concretas contra os traficantes. Nem é cabível colocar a culpa no governador.

As chamadas Unidades de Polícia Pacificadora foram como que estopim para a reação do tráfico. Estava perdendo espaço. É claro que a imensa e esmagadora maioria da população favelada do Rio de Janeiro e em qualquer lugar é ordeira, formada por trabalhadores e vive atemorizada pelo tráfico, até pela ausência do Estado. Existem no ar muitos outros bichos voando além dos aviões da carreira.

É preciso, por exemplo, ir fundo na questão das milícias. O embrião dessas organizações está lá nos tempos da ditadura, no antigo esquadrão da morte, em organizações como a Escuderia Le Coq. Funcionavam à margem da lei, no discurso de defesa da lei da ordem diante da ausência do Estado. No fundo eram organizações criminosas ligadas ao jogo do bicho, à época senhor absoluto do crime organizado no Rio de Janeiro. Um dos principais banqueiros, o capitão Guimarães, era de fato capitão do exército e ligado aos grupos de tortura àquela época. Foi cooptado.

As primeiras tentativas de combater de forma efetiva o tráfico de drogas começaram no governo Leonel Brizola e se estendiam para além da ação policial pura e simples. Os CIEPS eram uma raiz de uma árvore que se plantava para gerar frutos a médio e longos prazos. As organizações GLOBO, por interesses comerciais, econômicos, trataram de criar um “vínculo” inexistente entre o governador Brizola e o crime organizado.

Se nos reportarmos ao Rio de Janeiro da ditadura militar, governos como os de Chagas Freitas, Marcelo de Alencar, Wellington Moreira Franco foram omissos em matéria de políticas de segurança. Desde o feijão com o arroz ao planejamento a médio e longo prazo. A retomada das grandes facões criminosa ocorreu nos governos de Anthony e Rosinha Garotinho, principais responsáveis pela formação das milícias.

Responsáveis e comandante no caso de Anthony Garotinho. Usando setores das igrejas evangélicas ligadas e controladas por ele o governo entrou nos presídios, nas favelas, formou os grupos de milicianos (a maior parte deles com policiais militares e civis) e gerou um imenso aparato de controle político do estado, tanto quanto de lucro em operações de “proteção”. O distinto cidadão pagar um valor qualquer para ficar livre do tráfico. Em pouco tempo milícias e tráfico se articularam e se organizaram para atuar em conjunto, ainda que pareçam antagônicas.

Uma aliança estratégica. Um dos secretários de segurança do governo Garotinho, Álvaro Lins, foi preso e perdeu o mandato de deputado estadual por suas ligações com essas milícias. Na campanha eleitoral de 2006 numa das favelas do Rio o deputado Marcelo Itagiba, também do esquema Garotinho recebeu 18 mil votos com ostensivo apoio das milícias e do tráfico.

Nenhum outro candidato conseguiu fazer campanha naquela favela. A exacerbação dos fatos via mídia, sobretudo pela rede GLOBO por pouco não atinge às raias da insanidade. É simples entender porque não chegaram a tanto. O GLOBO detém os direitos de transmissão da Copa do Mundo e em 2014 a competição será no Rio. Terminada a Copa, se prepare a RECORDE, que detém os direitos em relação às Olimpíadas, 2016. Por trás da fingida indignação os “negócios”.

No caso do jornalista TIM Lopes a rede tirou o corpo fora de todas as formas possíveis, como revelou o jornalista Mário Augusto Jakobskind e livro detalhado e minucioso sobre o assunto. A questão para essa gente não é acabar com o tráfico de drogas, mesmo porque os chefões estão nos bairros das elites, ou são presidentes, como era Álvaro Uribe na Colômbia.

O diretor do BBB, o tal Boninho, admitiu em determinado momento ser consumidor de drogas e a seu talante e de seus amigos determinavam quem era “vadia” ou não e “vadias” eram aquinhoadas com baldes de água suja. O câncer da sociedade está aí, o crime organizado nasce aí. A ação policial é necessária, mas a reestruturação das polícias, o fim da polícia militar e o surgimento da instituição polícia em sua essência, como força de prevenção e combate ao crime é fundamental. Não interessa às elites. Como não interessa uma profunda reforma do Judiciário, nas várias mazelas que enfrenta, inclusive a corrupção em alguns setores.

Daniel Dantas, por exemplo está solto e o delegado Protógenes Queiroz condenado. E Gilmar Mendes continua ministro do STF (Supremo Tribunal Federal). O Rio é vítima de traficantes, de milícias justiceiras (mas altamente lucrativas para o ex-governador Garotinho e seus cúmplices, inclusive setores de igrejas evangélicas) e o desafio que o governador Sérgio Cabral tem pela frente, nesse seu segundo mandato, já que se dispôs a enfrentar as quadrilhas que controlam o estado, atemorizam a população, passa por aí.

Como o respeito pelos direitos humanos é fundamental. Há policiais do BOPE envolvidos em crimes, inclusive seqüestros. Em breve, como os antigos “HOMENS DE OURO” da polícia carioca (era o antigo estado da Guanabara), essa linha entre a lei e o crime vai acabar sendo cruzada. É sedutora e se confere uma força e uma imagem exageradas a policiais que em boa parte das ações que desfecha viola direitos básicos do cidadão e exibe uma sociedade boçal, bárbara, violenta.

Quem não se lembra de Mariel Mariscot? O endeusamento daquele policial é semelhante ao que se faz hoje dos policiais do BOPE. Há uma cultura da violência e da barbárie sendo vendida. Os fatos acontecidos nos últimos dias no Rio foram uma reação às Unidades de Polícia Pacificadora. É preciso ir mais longe que ocupar as favelas do Cruzeiro e do Alemão e depois, como previsto, a Rocinha. É necessário identificar os freqüentadores de salões requintados que comandam toda essa estrutura criminosa.

E não há no Rio cidadão consciente que não saiba que um dos chefões é o ex-governador Anthony Garotinho. Não tem diferença nenhuma, só no status, para qualquer Elias Maluco, ou Marcinho VP, ou Fernandinho Beira-mar. O que a mídia tenta fazer é transformar o Rio num grande Iraque e prosseguir impávida em seus “negócios”. Vem aí a edição do BBB-11.

A vitória deste domingo deve ser seguida de políticas públicas de educação, saúde, saneamento básico e outras capazes de integrar essa massa de cidadãos afastados e abandonados pelo Estado. É diferente de quando um filho de um “condomínio fechado” foi preso por crimes vários e seu pai não o queria na cadeia ao lado de “marginais da favela”. Um detalhe decisivo. Não vai ser só subir o Alemão do contrário, quando saírem, os traficantes voltam e os moradores vão pagar o pato.

É imensa a responsabilidade do governo da cidade, do estado e federal. Do contrário, daqui a pouco, William Bonner vai estar gritando histérico que estamos virando um Iraque e pedindo a presença dos mariners norte-americanos. Reply Forward

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Se o Estadão pode




Posted by eduguim on 26/11/10 • Categorized as Opinião do blog
Há milhões de coisas a dizer sobre a entrevista coletiva que o presidente Lula concedeu aos auto-proclamados blogueiros progressistas. Antes, porém, há que abordar os ataques da grande imprensa a eles.
Diante das críticas a esses setores da imprensa que permearam tal entrevista coletiva, esse colegiado de impérios de comunicação passou recibo do fato de que surgiu um ente capaz de se contrapor ao seu engajamento político na oposição partidária ao governo federal.
Essa grande imprensa que teve que ficar do lado de fora do Palácio do Planalto enquanto acontecia uma entrevista coletiva do presidente da República a simples blogueiros – alguns sem formação jornalística, como este que escreve –, não hesitou e partiu furiosamente para o ataque contra eles.
Globo, Folha de São Paulo e Estadão – além de jornais menores, de algumas tevês abertas (como o SBT) e de todos os portais de internet – evitaram abordar as questões feitas a Lula. No máximo, como no caso da Folha, fizeram alguns comentários laterais sobre os temas abordados, mas se concentraram no suposto viés “chapa-branca” dos blogueiros.
Quando saímos do Palácio do Planalto por volta da hora do almoço do último dia 24 – tendo chegado lá por volta das oito horas da manhã –, repórteres de O Globo e da Folha nos esperavam.
O jovem repórter da Folha que nos entrevistou, chama-se Breno Costa. Ele escreveu o seguinte:

Em entrevista a blogs pró-governo, Lula faz críticas à imprensa
Presidente diz que mídia praticou “leviandades” e “inverdades” contra ele e diz que vai virar blogueiro
Dos 10 blogs escolhidos para sabatina, 8 apoiam governo; petista critica Serra por agressão na eleição, e tucano revida
BRENO COSTA
DE BRASÍLIA
Na primeira entrevista já concedida a um grupo de blogueiros, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os entrevistadores se uniram nas críticas à grande imprensa.
Dez blogueiros autoclassificados “progressistas” participaram da entrevista, de duas horas, na manhã de ontem no Palácio do Planalto.
Um dos blogueiros, Altamiro Borges, é filiado ao PC do B. Outro, conhecido como “Sr. Cloaca” [ele não revela o nome], é assessor de imprensa de político do PT no Rio Grande do Sul, cujo nome também não revelou.
O blog Amigos do Presidente Lula, que não estava na lista divulgada pelo Planalto, também participou. O Planalto disse que o blog não entrou na lista por “erro”.
Dos 10 sites, 8 têm como linha a defesa do governo Lula e se alinharam, na eleição, à candidatura de Dilma Rousseff, reproduzindo uma série de ataques ao candidato do PSDB, José Serra. Os outros têm uma linha mais neutra.
O blogueiro Eduardo Guimarães, fundador do Movimento dos Sem Mídia, que já fez protestos em frente à Folha, citou a sigla “PIG”. Coube ao secretário de imprensa do Planalto, Nelson Breve, traduzi-la a Lula: “PIG é o que ele chama de Partido da Imprensa Golpista”.
Ao lado do ministro Franklin Martins (Comunicação Social), Lula voltou a afirmar que não lê jornais e revistas, mas que, quando sair da Presidência, vai “reler tudo”.
“Eu quero saber a quantidade de leviandades, de inverdades que foram ditas a meu respeito, quantas coisas que não foram ditas.”

Ainda sobre a relação com a imprensa, disse que “o jogo não é fácil”. “Sobretudo quando você não quer se curvar.” Afirmou que órgãos de imprensa se assustaram com sua popularidade “pois trabalharam o tempo inteiro para não acontecer isso”.
Para Lula, que prometeu virar “blogueiro e tuiteiro”, “não existe maior censura do que a ideia de que a mídia não pode ser criticada”.
O presidente voltou a defender uma regulação da mídia, mas rechaçou a ideia de censura. Ele quer entregar ao menos um esboço de marco regulatório para o setor.
Lula ainda disse que o pior momento vivido em seu governo foi o dia do acidente da TAM, em São Paulo, que deixou 199 mortos. “Nunca vi tanta leviandade”, disse, sobre a cobertura da mídia.

Afirmou que sentiu “alívio” ao descobrir que não houve falha do governo e que o acidente tinha sido provocado, essencialmente, por erro humano. “Foi uma sensação de alívio por ter descoberto a verdade.”
SERRA
Lula também retomou o episódio da agressão a Serra por militantes ligados ao PT em ato de campanha no Rio.
Ele voltou a dizer que o tucano simulou uma agressão grave, e se disse “decepcionado” com a Globo. “Foi uma cena patética, uma desfaçatez. Fiquei decepcionado [com a Globo] porque quiseram inventar uma outra história, um objeto invisível que até agora não mostraram.”
Serra, que estava ontem em Brasília, respondeu. “Como foi comprovado, foi um outro objeto atirado em mim, inclusive está filmado, e o presidente sabe disso.” O tucano continuou: “Lula talvez já tenha começado sua campanha para 2014, dizendo mentiras inclusive”.
IRÃ E STF
Lula defendeu a relação com o presidente Mahmoud Ahmadinejad e tentou explicar a posição do iraniano sobre o holocausto. “Ele explicou que o que quis dizer, na verdade, era que morreram 70 milhões de pessoas na Segunda Guerra, e parece que só morreram judeus”, disse.
Ele afirmou que deixará a indicação do novo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) para Dilma Rousseff, no caso de o Senado não sabatinar o escolhido até o próximo dia 17, quando o Congresso entra em recesso.
Luís Inácio Adams, advogado-geral da União, e Cesar Asfor Rocha, presidente do Superior Tribunal de Justiça, são os mais cotados.
O que o editor deste blog disse ao jovem repórter Breno, porém, não saiu na matéria que ele fez. Começou a entrevista comigo perguntando se seria válido fazermos uma entrevista tão pouco questionadora ao presidente.
A resposta foi a de que não haveria sentido em os blogueiros fazerem o mesmo que a grande imprensa fez durante oito anos ininterruptos e a de que se o Estadão pode apoiar explicitamente um político, como fez ao declarar voto em José Serra durante a recente campanha eleitoral, blogueiros também podem.
Não se viu algum desses grandes jornais dizer sobre o Estadão o que disseram Folha e O Globo – este, mais virulento, tratou de insultar o blogueiros, chamando-os de “chapas-brancas” e dizendo que o que fazem “não é jornalismo” – apesar de o centenário jornal paulista ter se engajado na campanha do candidato tucano.
O jovem repórter Breno também me fez a indefectível questão sobre os blogueiros defenderem “censura” à imprensa. Disse a ele que isso era uma bobagem, até porque o lema do Movimento dos Sem Mídia é “Que a mídia fale, mas não me cale”.
Quando o signatário deste blog ponderou que enquanto a mídia afirma que o governo Lula pretenderia censurá-la o Brasil sobe 13 posições no ranking de liberdade de imprensa da ONG internacional “Repórteres sem fronteiras”, o repórter da Folha terminou a entrevista.
Esses meios de comunicação também usaram uma outra estratégia para darem um ar bisonho aos blogueiros que entrevistaram Lula. Escolheram o impagável Willians de Barros, o “senhor Cloaca”, como “logotipo” da Blogosfera.
O Globo nos chamou ontem, aos blogueiros, de Cloaca e outros amigos de Lula. E destacou o suposto caráter “apócrifo” do blog Cloaca News. A Folha, hoje, usa a entrevista que também fez com Barros na porta do Palácio do Planalto para acusá-lo de partidário.

Entrevista a blogueiros não foi chapa-branca, diz “Sr. Cloaca”
BRENO COSTA
DE BRASÍLIA
BERNARDO MELLO FRANCO
DE SÃO PAULO
Convidado para o encontro do presidente Lula com blogueiros que se classificam como “progressistas”, o publicitário William Barros, que se apresenta na internet como “Sr. Cloaca”, afirmou que o evento “não foi uma entrevista chapa-branca”.
Ele disse que o tom da conversa, marcada por elogios ao governo e ataques à imprensa, surpreendeu. “Achavam que seria chapa-branca, inclusive os leitores dos blogs. Mas não foi!”
Barros escreve no blog “Cloaca News”, cujo subtítulo é “As últimas do jornalismo de esgoto”. A página se dedica a defender Lula e a atacar políticos de oposição.

O tópico mais citado é “José Serra”: até ontem, havia 142 posts contra o tucano. Outro alvo preferencial são os veículos de comunicação, chamados de “imprensa golpista” e “máfia midiática”.
O blogueiro assessora políticos do PT-RS, mas evitou o assunto. “Não é importante, não sou famoso. Famoso é o Sr. Cloaca”, disse. O site tem link para o portal do futuro governo de Tarso Genro (PT).
Animado, ele se posicionou ao lado de Lula para a foto oficial. Após o clique, deixou o Planalto gabando-se da notoriedade instantânea. “O Lula me chamou depois… “Vem cá, ô Cloaquinha!’”
O dicionário Houaiss explica o tom jocoso usado por esses jornais em relação ao “Senhor Cloaca”. O dicionário define assim o substantivo feminino cloaca:
1 fossa, canal ou cano destinado a receber dejeções
2 coletor de esgoto
3 vaso sanitário; latrina
4 escoadouro de águas; vala, sarjeta
5 depósito de imundícies; monturo
6 tudo o que é imundo, que tem mau cheiro
7 nos anfíbios, répteis, aves e muitos peixes, câmara comum onde os sistemas digestivo, excretor e reprodutor descarregam seus produtos
A tentativa é a de transformar a inteligente sátira que faz o blogueiro Willians de Barros em uma espécie de caráter “sujo” dos blogueiros. É uma variante da qualificação de Serra sobre “blogueiros sujos”.
O mais interessante é que, ao atacar os blogueiros que entrevistaram Lula sem lhes dar espaço para se manifestar, essa dita “grande imprensa” provoca curiosidade em seu público. Há pelo menos um ano que ela faz isso e, enquanto faz, os blogs vão ganhando audiência.
Os blogueiros temos tanto direito quanto o Estadão de manifestar nossa posição política. Não existe nada de anti-jornalístico ou “chapa-branca” no trabalho que fazemos, porquanto deixamos clara a nossa posição tanto quanto o centenário jornal paulista. Somos, Estadão e blogueiros, bem mais honestos do que Folha e O Globo

Cantinho do Poeta Quartas Culturais

Pontal

Dia 1 dezembro 21 horas
Encenação teatral com poemas de
Aluysio Abreu Barbosa, Adriana Medeiros,
Antônio Roberto(Kapi) e Artur Gomes.
com Artur Gomes, Yvi Carvalho e Sidney Navarro
Direção: Kapi
Local: Cantinho do Poeta
Rua Cardoso de Melo, 42 – Campos dos Goytacazes-RJ

a flor da pele – pontal foto grafia


texto de Dougals da Mata sobe a violência no Rio
leia aqui http://goytacity.blogspot.com

Pontal Foto.Grafia

Aqui,
redes em pânico
pescam esqueletos no mar
esquadras – descobrimento
espinhas de peixe convento
cabrálias esperas relento
escamas secas no prato
e um cheiro podre no AR

caranguejos explodem mangues em pólvora
Ovo de Colombo quebrado
areia branca inferno livre
Rimbaud - África virgem –
carne na cruz dos escombros
trapos balançam varais
telhados bóiam nas ondas
tijolos afundando náufragos
último suspiro da bomba
na boca incerta da barra
esgoto fétido do mundo
grafando lentes na marra
imagens daqui saqueadas
Jerusalém pagã visitada
Atafona.Pontal.Grussaí
as crianças são testemunhas:
Jesus Cristo não passou por aqui

Miles Davis fisgou na agulha
Oscar no foco de palha
cobra de vidro sangue na fagulha
carne de peixe maracangalha
que mar eu bebo na telha
que a minha língua não tralha?
penúltima dose de pólvora
palmeira subindo a maralha
punhal trincheira na trilha
cortando o pano a navalha
fatal daqui Pernambuco
Atafona.Pontal.Grussaí
as crianças são testemunhas:
Mallarmè passou por aqui

bebo teu fato em fogo
punhal na ova do bar
palhoças ao sol fevereiro
aluga-se teu brejo no mar
o preço nem Deus nem sabre
sementes de bagre no porto
a porca no sujo quintal
plástico de lixo nos mangues
que mar eu bebo afinal?

arturgomes
leia mais aqui http://artur-gomes.blogspot.com

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Sarau Palavras Diversas


barra de são joão - foto: artur gomes


Dia 24 novembro 21 horas
Cantinho do Poeta Rua Cardoso de Melo, 42
Campos dos Goytacazes-RJ

Encontro Regional de Blogueiros Progressistas
Leia aqui http://goytacity.blogspot.com/

Censura na internet o próximo passo
Aqui http://artur-gomes.blogspot.com/

Nós in Bento Gonçalves





tropicalirismo


girassóis pousando
nu teu corpo
festa
beija-flor seresta
poesia fosse
esse sol que emana
do teu fogo farto
lambuzando a uva
de saliva doce

arturgomes
http://pelegrafia.blogspot.com/


MP processa governo Aécio Neves por prender ilegamente e humilhar quilombolas, favorecendo fazendeiros

"... os quilombolas foram mantidos ilegalmente presos e algemados, de pé, na porta do quartel da Polícia Militar em Porteirinha, em pleno centro da cidade, ... ficando ali expostos por mais de 03 horas ao opróbrio público, qual escravos fujões recém-capturados pelo capitão-do-mato..."

O texto acima não é um extraído de um romance de ficção do Século XIX. Faz parte da ação civil ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF) e pela Fundação Cultural Palmares, pedindo que o Estado de Minas Gerais seja condenado a pagar indenização por danos morais coletivos em virtude de arbitrariedades cometidas pela Polícia Militar mineira contra três comunidades quilombolas: Povo Gorutubano, Brejo dos Crioulos e Lapinha.
Em diversas operações da Polícia Militar, os integrantes das comunidades quilombolas foram, de forma ilegal, ameaçados, algemados e expostos a humilhações públicas. Houve caso em que até crianças de 4, 6 e 7 anos de idade foram detidas.

Em duas oportunidades, os policiais, fortemente armados, agiram a pedido de fazendeiros, sem qualquer ordem judicial que os amparasse. Nessas ocasiões, as ações policiais aconteceram a pretexto de desocupar terras ocupadas pacificamente por famílias quilombolas.

No primeiro caso, ocorrido em 2006 (sob o governo de Aécio Neves), 15 policiais, fortemente armados e sem mandado judicial, invadiram e destruíram acampamento montado por famílias gorutubanas, apreenderam suas ferramentas de trabalho, algemaram todos eles uns aos outros e conduziram-nos, presos - inclusive três crianças -, num percurso de 60 km, até o quartel da Polícia Militar da cidade de Porteirinha.

Lá chegando, os quilombolas foram mantidos ilegalmente presos e algemados, de pé, na porta do quartel, em pleno centro da cidade, ficando ali expostos por mais de três horas, “qual escravos fujões recém-capturados pelo capitão-do-mato", narra a ação.

Várias testemunhas contaram que, enquanto estavam ali, os fazendeiros que disputam terras com os quilombolas, passavam por eles a todo instante, fazendo escárnio, chacotas, proferindo palavras de ofensa e humilhação.

Para o procurador da República, “o que mais choca nos relatos é que, em pleno século XXI, cidadãos brasileiros foram tratados de fato como escravos rebeldes. A única diferença é que as grossas correntes foram substituídas por algemas. Mas a exposição pública, a humilhação, o desrespeito à dignidade humana, estavam todos lá”.

A prisão dos quilombolas não foi comunicada nem ao promotor de Justiça, nem ao juiz da cidade e eles só foram soltos após a chegada ao local do advogado da associação.

Esse é apenas um dos casos, talvez o mais cruel, narrados na ação, embora os abusos cometidos contra as comunidades de Brejo dos Crioulos e Lapinha também sejam de mesma natureza e igualmente chocantes (veja o inteiro teor da ação, com a descrição completa dos fatos).

Segundo os autores, os efeitos das operações militares, na verdade, não se restringem apenas às comunidades quilombolas diretamente ofendidas: “Esses efeitos espraiam-se, de maneira difusa, a todo o movimento quilombola, cujas comunidades ficam amedrontadas e temerosas de lutar por seus direitos, tendo em vista a violência das operações”.

Sem generalizar a acusação para bons policiais que respeitam a cidadnia, o MPF expediu recomendação ao Comando-geral da PM para que instrua seus policiais a agirem dentro da legalidade (por exemplo, só ingressarem no interior dos territórios das comunidades munidos de mandado judicial) e sem qualquer abordagem de cunho coativo ou intimidatório.
Para o procurador, “no ambiente democrático em que vivemos, essas atitudes policiais são absolutamente intoleráveis. A Polícia Militar não tem a prerrogativa de importunar os cidadãos, acusando-os sem prova e, pior, coagindo-os a prestar informações e ameaçando-os com represálias e retaliações, como aconteceu na operação realizada contra a Comunidade de Lapinha.

O MPF lembra que é a própria Constituição que assegura às comunidades quilombolas o direito de propriedade definitiva das terras por eles ocupadas.

A ação indenização coletiva no valor mínimo de R$ 4,5 milhões, e que seja revertida em favor das comunidades para o custeio das despesas dos respectivos processos de regularização fundiária.(Do MPF/MG)
Enviar por email Por: Zé Augusto

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Pátria armada, Brasil - FREI BETTO

Houve uma grita na mídia quando a Rússia, há pouco, vendeu à Venezuela cerca de US$ 4 bilhões em armas. Interrogações acima de qualquer suspeita logo brotaram: o que pretende Chávez? Declarar guerra à vizinha Colômbia? Dar um golpe de estado e governar como ditador?

Em setembro de 2010, o Congressodos EUA divulgou relatório sobre os países em desenvolvimento que, em 2009, mais compraram armas. O Brasil é o primeiro da lista. Gastou US$ 7,2 bilhões(cerca de R$ 12,24 bilhões) em armamentos. Preste atenção: o orçamento do Bolsa Família, em 2010, foi de R$ 13,7 bilhões.

Em gastos bélicos, atrás do Brasil seguem Venezuela (US$ 6,4 bilhões), Arábia Saudita (US$ 4,2 bilhões) e Taiwan (US$ 3,8 bilhões). No período entre 2002 e 2009, Brasil e Venezuela aparecem entre os 10 primeiros compradores de armas no mundo em desenvolvimento.

Entre 2006 e 2009, a América Latina quadruplicou seus gastos em armamentos: pulou de US$ 5,763 bilhões para US$ 23,726 bilhões.

Outra novidade é a Rússia suplantar os EUA como principal vendedora de armas para a América Latina. Entre 2002 e 2005, Moscou vendeu apenas US$ 600 milhões, enquanto Tio Sam faturou US$ 1,362 bilhão. Mas, entre 2006 e 2009, a Rússia vendeu US$ 11,1 bilhões - quase 50% do mercado latinoamericano - e os EUA apenas US$ 2,426 bilhões, pouco mais de 10% do mercado continental.

O segundo lugar pertence, agora, à França. Até 2005, este país abocanhava apenas 5% do mercado latinoamericano, com vendas que não ultrapassavam US$300 milhões. Entre 2006 e 2009, passou a vender US$ 6,3 bilhões, cerca de25% do total, superando os EUA.

Segundo o Ministério da Defesa da França, o Brasil é, hoje, o maior importador de armas fabricadas por aquele país. Os contratos assinados entre os governos Lula e Sarkozy, de 2005 a 2009, somam R$ 12,8 bilhões. As importações brasileiras de armas da França pularam de US$ 101 milhões, em 2005, para US$ 3,8 bilhões, em 2009, salto de 3.700%.

O relatório francês revela que a predominância do Brasil se deu graças sobretudo à aquisição de submarinos do tipo Scopèrne. Em Brasília, o Ministério do Desenvolvimento não divulga valores de importação de armas estratégicas.

As compras de armas comuns (fuzis, bombas e artilharia) feitas pelo Brasil de diversos parceiros subiram de R$ 8,5 milhões em 2005 para R$ 46 milhõesem 2009, um aumento de 440%. A conta exclui equipamentos pesados, como submarinos e aviões.

Em dezembro de 2002, quando Bush pediu a Lula o apoio do Brasil à invasão do Iraque, o presidente eleito respondeu: "Nossa guerra não é para tirar vidas e sim para salvá-las. Vamos combater a fome!" Por que, em vez de volta da CPMF, não se aplica igual valor do orçamento militar na melhoria da saúde, da educação, da preservação ambiental e da qualidade de vida de nossa população?

O relatório mostra ainda que a França exportou, em 2009, 7,2% dos armamentos no mundo. Ficou atrás dos EUA, responsáveis por 52% das exportações mundiais; do Reino Unido, com 13,4%; e da Rússia, com 8,4%.

O lobby bélico é mundialmente poderoso, pois a indústria da morte assegura a vida abastada dos que obtêm, graças a ela, abundantes lucros.

Contudo, já não multiplica empregos, como o comprova a atual conjuntura dos EUA. As novas tecnologias dispensam mão de obra numerosa.

Lamento que os bispos que se indignam com a proposta de descriminalização do aborto não digam uma palavra quando se trata da produção e do comércio de armas.

Segundo o TSE, no Brasil os fabricantes de armas destinaram, nas últimaseleições, R$ 1,55 milhão a candidatos.

É a "bancada da bala", empenhada em evitar qualquer restrição legal ao setor. E quem agradece são os narcotraficantes, que, refugiados no alto de favelas, possuem armas de última geração, a ponto de derrubarem helicópteros da polícia.

Cerca de 40 mil pessoas morrem assassinadas, por ano, no Brasil, vítimas de armas de fogo.

A paz jamais virá do equilíbrio de forças. Como profetizava Isaías há séculos, ela resultará, sim, da promoção da justiça, o que supõe desarmamento de espíritos e fim dos arsenais.


Sinal dos tempos: BB vai comprar banco nos Estados Unidos

O Banco do Brasil acaba de selecionar o banco que pretende comprar nos Estados Unidos, conforme informações divulgadas nesta terça-feira pelo vice-presidente de Finanças, Mercado de Capitais e Relações com Investidores do BB, Ivan de Souza Monteiro. O executivo não revelou o nome da instituição, mas disse que o negócio pode ser fechado ainda neste ano.

Já identificamos um banco que está próximo aos brasileiros (residentesnos EUA), afirmou Monteiro, que participou de evento em São Paulo para a divulgação do balanço do terceiro trimestre do banco. Acredito que (o negócio) pode acontecer ainda neste ano, completou o executivo.

Expansão no exterior

Quando questionado sobre o possível interesse do BB na fatia do BancoPanamericano pertencente ao Grupo Silvio Santos, Monteiro afirmou que não viu oportunidades no negócio.

Segundo o executivo, as operações de crédito do Banco do Brasil são seguras. As aquisições de carteira do BB no mercado representam 4% do total dos ativos totais de crédito do banco, sendo que o Banco PanAmericano representa apenas 5% dessa parcela. O banco adquire carteira e continuará a adquirir. Nada vai mudar, afirmou.

Maior instituição financeira do país, o BB apresentou lucro líquido de R$ 2,6 bilhões no terceiro trimestre, resultado 32,7% maior do que o apurado no mesmo período do ano passado. O balanço do BB foi comunicado ao mercado nesta terça-feira. Nos nove primeiros meses deste ano a instituição lucrou R$ 7,7 bilhões, 28,5% acima do mesmo período de 2009.

O rico mercado de fusões e aquisições reflete o movimento de concentração e centralização do capital e mobiliza trilhões de dólares em todo o mundo. A crescente participação do Brasil em aquisições no exterior é um sinal dos tempos. Traduz a expansão das multinacionais verde e amarelo e tem muito a ver com o declínio da liderança econômica de Tio Sam no mundo, fenômeno que vem rolando há muitos anos e que ganhou um impulso extraordinário com a crise iniciada no final de 2007. Não foram poucas as falências no sistema bancário, o que ampliou a oferta de ativos.

A oferta de bancos lá [nos EUA] é grande?, informou Monteiro. Analisamos um conjunto de bancos e escolhemos o que tem atuação na região onde há mais concentração de brasileiros. Ele não cita locais, mas de acordo com a indicação, o banco fica na Costa Leste americana, já que Nova York e Flórida são pontos de concentração de brasileiros.
http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=2&id_noticia=141644

Rodrigo Brandão - jornalista brasileducom.blogspot.com

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

por onde anda raian rúbia




Por onde anda raian rúbia


Alguma poesia


Café Literário – Dia 14 às 18:00h
Bienal do Livro de Campos
Artur Gomes e Fabrício Carpinejar
Mediador: Dedé Muylaert
Leia mais aqui: http://artur-gomes.blogspot.com/


Isadora

onde teus pés bailarina dançam
cato os vestígios do tempo
onde teus olhos bailarina olham
um gato passeia no teu colo
e na vidraça o giz derrama poesia
escritas com punhos de ontem
em tua cidade de serras

onde teus braços bailarina
sustentam tuas mãos
que colhem uvas
coloco águas de chuva
para que teus vinhedos não cessem
esteja sempre em meus caminhos
e deles brotem da flor o fruto sagrado
e os teus segredos guardados
entre os teus lábios de vinho

arturgomes
http://musadaminhacannon.blogspot.com/

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Luiz Ribeiro In Memória

Marca Registrada Luiz Ribeiro


Uma caneta pelo amor de Deus


Estaremos hoje ao lado de Angelo Nani e banda, às 21:00h na Bienal do Livro de Campos, fazendo uma homenagem a Luiz Ribeiro, nosso eterno parceiro, memória vida do Rock em Campos dos Goytazes. Algo maior também nesse sentido estásendo preparado por Romualdo Braga e Wellington Cordeiro para um futuro próximo

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

jiddu Saldanha e a filha de raian rúbia





Jiddu Saldanha, ou melhor Flávio Mutambo, um investigador que pesquisa os porões da ditadura militar, tem andado a procura de Raian Rúbia, que tinha os lábios rubros, e desapareceu entre os anos 70 e 80. Seu paradeiro até hoje é misteriosamente desconhecido. Acredita-se que ela tenha nascido em Minas, passado pelo Rio de Janeiro e depois Rio Grande do Sul.

Em nossa passagem recentemente por Bento Gonçalves, durante o XVIII Congresso Brasileiro de Poesia, ouvimos alguns comentários que poderiam dar conta, de que Mayara Pasquetti ser sua filha, mas nos arquivos cartoriais da cidade, ou nos livros da prefeitura não encontramos nenhum registro que pudesse confirmar a suspeita.

Ricardo Reis, outro pesquisador de literatura da época romântica, encontra vestígios de que Raian Rúbia poderia ter desaparecido em alguma Lan House subterrânea, fato esse também nunca comprovado

domingo, 31 de outubro de 2010

o que a grande mídia não diz

pintura: alcinéia marcucci

leia aqui: http://goytacity.blogspot.com/





As flores do bem-me-quer

gaivotas perseguem peixes
quando estão com fome
a musa da minha janela
depois da prova de física
desfolha Charles Baudelaire

tem um jardim imaginário
no quintal desta metáfora
e um mar de algaravias
dentro dos olhos dela

percebo a flor da infância
bem-me-quer em teu cabelos
peixes que não são nuvens
girassóis fosse miragens
na veia algas marítimas
e uma fração logarítima
ainda por resolver

arturgomes
http://pelegrafia.blogspot.com/


Palavras Diversas

a palavra múltipla plural e solta
pelos céus da boca
sarcástica cínica amorosa
de drummond a guimarães rosa
de ferreira gullar a torquato neto
a pala/lavra do leminski
como um arquiteto
que constrói a própria casa
com o furor do fogo em brasa
com cimento tijolo argamassa
e que a massa compreenda
que a massa que transforma o pão
é a mesma que alimenta a massa
que o homem arquiteta
e a praça é o lugar pro seu delírio
a lira que mora dentro do poeta


jura secreta 121

ela me mantém
à distância dos meus braços
que mesmo esticados
não conseguem alcançá-la
no quarto do hotel eu tenho a fala
e digo
desejo o espaço do teu ventre
para proclamar os meus instintos
não minto
eu sinto
muito
que pena
se ainda não conseque
provar dos meus pecados
e se esconde entre hóstia e promessas
eu tenho pressa
quero engravidar-te de saliva
na língua
que escorre pelos anos
abrindo fenda em tuas costas

arturgomes
http://juras-secretas.blogspot.com/

terça-feira, 19 de outubro de 2010

XVIII CONGRESSO BRASILEIRO DE POESIA HOMENAGEIA FERREIRA GULLAR




Pela primeira vez nos últimos quinze anos o Congresso Brasileiro de Poesia não é realizado na primeira semana de outubro e sim, no final do mês. A edição deste ano acontece de 25 a 29, na cidade de Bento Gonçalves e homenageará os 80 anos de Ferreira Gullar.

Como já é tradição, mais uma vez a Capital Brasileira da Uva e do Vinho abrirá suas portas para a caravana de poetas que participarão da décima-oitava edição do Congresso Brasileiro de Poesia, um dos maiores encontros de poetas da América.

Tendo como tema “O viajante da Poesia”, em homenagem ao poeta Ferreira Gullar, aproximadamente cento e cinquenta poetas dos mais diversos estados brasileiros e de alguns países já confirmaram presença e participarão de uma programação diversificada com muitos recitais, performances, rodas de poesia, espetáculo teatral, palestras nas escolas e debates sobre as diversas formas do fazer poético.

A abertura do evento acontece no Salão Nobre da Prefeitura Municipal às 17 horas do dia 25, com performance do grupo carioca “Simplesmente Poesia” e um recital em homenagem ao poeta Oscar Bertholdo, por parte de alunos da Escola Estadual Dona Isabel, além do poeta Artur Gomes interpretando o poema Não Há Vagas, do homenageado Ferreira Gullar.

À noite, no anfiteatro Ivo Da Rold, na Fundação Casa das Artes, acontece mesa redonda sobre a obra do poeta Ferreira Gullar, coordenada por Eduardo Tornaghi, seguida de performance e recital poétco.

A partir da manhã de terça-feira, as atividades acontecerão no auditório do SESC, Biblioteca Municipal, Vai Del Vino e nas escolas do município.

Escolas continuam sendo prioridade do evento

Trinta e duas escolas do município participarão do evento deste ano, recebendo os poetas em suas dependências e doze delas deslocarão alunos para participar de atividades que acontecerão nas dependências do SESC. Os poetas também irão ao Presídio Municipal, APAE, Lar do Ancião, Centro de Atenção Psico-Social e ao Hospital Tacchini.

Entre os principais projetos que tradicionalmente compõem a programação oficial do evento destacam-se: “Poesia na vidraça” (que começa a ser executado já na terça-feira, dia 19, e consiste na utilização das vitrines das lojas do centro da cidade para exposição de poemas de autores brasileiros), “Poesia numa hora dessas?” (quando poetas apresentam recitais em repartições públicas e privadas), “Uma idéia tece a outra” (realizado na Biblioteca Municipal e que consiste no ‘empréstimo’ de um poeta a uma turma de alunos), além das tradicionais rodas de poesia na Via del Vino.

Recitais deverão fazer a diferença

Os organizadores mais uma vez apostam na realização de recitais de diversas correntes poéticas para garantir o sucesso dos eventos. Neste ano, dividirão o palco do SESC e de algumas escolas performances poéticos dos estados do Amapá, Pará, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul além de México, Chile e Uruguai.

No palco do SESC, além do grupo “Poesia Simplesmente” E “Tatamirô”, também apresentarão recitais e performances os seguintes poetas: Renato Gusmão, Marcos Bahrone, Artur Gomes e May Pasquetti,veja o vídeo: Se for poema fogo do desejo – Artur Gomes e May Pasquetti, filmados por Jiddu Saldanha no parque das Ruínas – Santa Teresa – Rio de Janeiro



E mais Dalmo Saraiva, Jiddu Saldanha, Telma da Costa, Edmilson Santini, Tanussi Cardoso e Delayne Brasil, Casa do Poeta de Camaquã, Casa do Poeta Latino-Americano, Confraria Cappaz e Comunidade Poemas à Flor da Pele.

Junto com o XVIII Congresso Brasileiro também serão realizados o XVIII Encontro Latino-Americano de Casas de Poetas, a XV Mostra Internacional de Poesia Visual, neste ano coordenada pelo poeta português Fernando Aguiar, e o XXI Salão Internacional de Artes Plásticas do Proyecto Cultural Sur/Brasil, organizado pela AAPLASG.
O evento é promovido pela Prefeitura Municipal de Bento Gonçalves, através da Secretaria Municipal de Educação, SESC e é realizado pelo Proyecto Cultural Sur/Brasil. O apoio é da Câmara de Vereadores e Sindilojas.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Chico Buarque e Leonardo Boff chamam artistas e intelectuais para manifesto por Dilma Presidente, no Rio de Janeiro, dia 18/10




Chico Buarque e Leonardo Boff chamam artistas e intelectuais para manifesto por Dilma Presidente, no Rio de Janeiro, dia 18/10


Um grupo de artistas e intelectuais liderados por Leonardo Boff, Chico Buarque, Emir Sader, Eric Nepumuceno está articulando adesões ao manifesto abaixo de apoio político a eleição de Dilma Roussef. Se você puder aderir agradeceríamos muito: mande sua adesão para emirsader@uol.com.br ; ericnepomuceno@uol.com.br

E, se você puder, divulgue aos seus amigos do Rio para participarem do ATO POLÍTICO de entrega do manifesto à candidata, no Teatro CASA GRANDE, dia 18 de outubro, às 20 hs. (Rua Afrânio de Mello Franco, 290- Leblon- Rio de janeiro).

MANIFESTO DE ARTISTAS E INTELECTUAIS PRO DILMA

Nós, que no primeiro turno votamos em distintos candidatos e em diferentes partidos, nos unimos para apoiar Dilma Rousseff.

Fazemos isso por sentir que é nosso dever somar forças para garantir os avanços alcançados. Para prosseguirmos juntos na construção de um país capaz de um crescimen to econômico que signifique desenvolvimento para todos, que preserve os bens e serviços da natureza, um país socialmente justo, que continue acelerando a inclusão social, que consolide, soberano, sua nova posição no cenário internacional.

Um país que priorize a educação, a cultura, a sustentabilidade, a erradicação da miséria e da desiguladade social. Um país que preserve sua dignidade reconquistada.

Entendemos que essas são condições essenciais para que seja possível atender às necessidades básicas do povo, fortalecer a cidadania, assegurar a cada brasileiro seus direitos fundamentais.

Entendemos que é essencial seguir reconstruindo o Estado, para garantir o desenvolvimento sustentável, com justiça social e projeção de uma política externa soberana e solidária.
Entendemos que, muito mais que uma candidatura, o que está em jogo é o que foi conquistado.

Por tudo isso, declaramos, em conjunto, o apoio a Dilma Rousseff.

É hora de unir nossas forças no segundo turno para garantir as conquistas e continuarmos na direção de uma sociedade justa, solidária e soberana.

Leonardo Boff
Chico Buarque
Fernando Morais
Emir Sader
Eric Nepumuceno

sábado, 16 de outubro de 2010

porque hoje é sábado

algazarra


esfinge


o amor não e apenas um nome
que anda por sobre a pele
um dia falo letra por letra
no outro calo fome por fome
é que a pele do teu nome
consome a flor da minha pele

cravado espinho na chaga
como marca cicatriz
eu sou ator ela esfinge
clarisse/beatriz

assim vivemos cantando
fingindo que somos decentes
para esconder o sagrado
em nosso profanos segredos
se um dia falta coragem
a noite sobra do medo

é que na sombra da tatuagem
sinal enfim permanente
ficou pregando uma peça
em nosso passado presente

o nome tem seus mistérios
que se esconde sob panos
o sol e claro quando não chove
o sal e bom quando de leve
para adoçar desenganos
na língua na boca na neve
o mar que vai e vem não tem volta

o amor é a coisa mais torta
que mora lá dentro de mim
teu céu da boca e a porta
onde o poema não tem fim

artur gomes
http://juras-secretas.blogspot.com/


O resultado do Datafolha não é igual e tem a ver com a militância


O resultado do Datafolha que mantém os 54% a 46% dos votos válidos da pesquisa anterior não significa que nada mudou nesta semana que passou.
Ao contrário, leitores, ao contrário. Ele mede apenas dois pontos.

Mas no percurso entre esses dois pontos cuja distância é de uma semana, muita coisa aconteceu.
Serra cresceu sem parar na semana passada e o Datafolha acusou isso no sábado passado, quando registrou o mesmo resultado de hoje nos votos válidos, que agora é o que importa.
E Serra continuou crescendo até segunda-feira, quando praticamente empatou com Dilma nos trackings.

Depois Dilma voltou a crescer e o o tucano a cair. Agora o Datafolha, que foi às ruas na quinta e na sexta, apontou o mesmo resultado da semana passada.
Mas durante a semana houve uma inverção de tendência.

Ou seja, a campanha de Dilma acertou o tom quando entrou no debate das privatizações. Tom, aliás, que se iniciou no debate da Band no domingo, com Dilma indo pra cima de Serra.
E os trackings de hoje Dilma já mostraram Dilma com 55 e Serra com 45, uma diferença de 10 pontos.

Ainda há muita eleição pela frente. Mas em campanha inverter a tendência é algo fundamental.
E a campanha de Dilma conseguiu fazê-lo na hora certa.

Há méritos dos marqueteiros e da direção política, mas na opinião modesta deste blogueiro essa inverção de tendência se deve em muito aos milhões de brasileiros que assumiram a luta e foram disputar o voto para Dilma.

O que aconteceu nesta semana que está terminando em relação à militância de apoio a Dilma é algo inédito. Merece registro e um estudo de caso.

E pelo que já sei do que está programado para a semana que entra, acho que essa vai ser a campanha da militância. Ela vai ser mais determinante, por incrível que pareça, do que foi nas duas vitórias de Lula.

By: Blog do Rovai

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Serra é caso de polícia. Por que a Dra. Cureau não age?



Sandra "Q-horror" Tijolaço 15/10/2010 Brizola Neto

Alertado por um comentarista, trago a vocês esta inacreditável matéria do Correio Braziliense, assinada pelo repórte Ulisses Campbell, que dá conta de um esforço articulado da campanha de Serra para, através de telemarketing, espalhar mais mentiras e canalhices sobre Dilma Rousseff.
Não é mais obra de alguns serristas “aloprados”, é um esforço nacional, articulado e caríssimo para interferir nas eleições. É um caso policial, está acontecendo e não existe uma voz neste país que se levante contra este tipo de métodos. Onde está o Ministério Público Federal? As pessoas que recebem os telefonemas estão identificadas, a origem deles pode ser obtida de imediato.

Não seria preciso ninguém agir, mas a Dra. Sandra Cureau parece estar ocupada demais com as preferências políticas dos jornalistas, preparando ações contra os blogs, e pode não ter lido o jornal que circula na cidade onde trabalha.

Então é melhor que os dirigentes do PT parem de dar entrevistas dizendo o que os jornais querem ouvir sobre os problemas da campanha e representem imediatamente à Justiça Eleitoral diante deste fato, que está público e publicado em um grande jornal.

É inacreditável como a campanha de Serra transformou a disputa política em atos de banditismo explícito..
Marcadores: Também do Blog ContrapontoPIG.

manifesto pro Dilma

Meus Caros, confiram o manifesto de poetas e escritores que apoiam a candidatura de Dilma Rousseff na página http://dilma13brasil.blogspot.com/ Estamos recolhendo assinaturas. Quem quiser incluir o seu nome, basta deixar um comentário no próprio blog ou responder a este e-mail, para que eu possa fazer a inclusão.

Abraços: Claudio Daniel

NAMaria desmascara Serra
Leia aqui: http://goytacity.blogspot.com
e aqui www.viomundo.com.br

Goytacá Boy


ando por são paulo meio araraquara
a pele índia do meu corpo
concha de sol da minha veia
em sua carne clara
juntei meu goitacá seu guarani
tupy or not tupy
não foi a língua que ouvi
na sua boca caiçara
para falar para lamber para lembrar
de sua língua arco íris litoral como colar de uiara
é que eu choro como a chuva curuminha
mineral da mais profunda lágrima que mãe chorara
para roçar para cumer para tocar
na sua pele urucun de carne osso
minha língua tara
sonha lamber do seu almoço
e ainda como um doido curuminha
a lamber o chão que restou da Guanabara

arturgomes
http://pelegrafia.blogspot.com

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Com quantas metáforas se faz uma miragem


ainda que fosse viagem
de metrô ou fantasia
e o assunto que eu mais queria
fosse o que não dissesse
e o mar apenas trouxesse
gaivotas sobre os cabelos
vento sol maresia
e o líquido que não bebemos
fosse conhac ou cerveja
mesmo assim a vida seja
entre o que os pêlos lateja
o que a tua boca não fala
o que a tua língua não prova
e a prova das dezessete
te levasse mais cedo
inda assim não tenha medo
a palavra entre meus dedos
é o que ainda não disse
miragem essa coisa nova
agora reivsitada
naquela hora marcada
do encontro que não tivemos

mesmo que não permitas
que eu toque os lençóis da tua cama
ou desfaça este nó dos teus desvelos
mesmo que a astronomia
te leve a romper os astros
na miragem dos teus olhos
e eu nunca saiba exatamente
a cor dos teus cabelos
mesmo que a meta-física
salte da tela do cinema
e as algebras da tua física
te leve de mim embora
quero que este poema
no centro dos teus sentidos
fale nos teus ouvidos
do ser que me encontro agora

arturgomes
http://musadaminhacannon.blogspot.com/



Jura secreta119

no mar do teu umbigo
quero o que me revele
a pele a segunda pele
o nome o sobre nome
a flor da pele da coisa
que está no centro
por não te querer em partes
quero-te umbigo a dentro

arturgomes
http://juras-secretas.blogspot.com/

sábado, 2 de outubro de 2010

frei tito



por Frei Beto

Frei Tito de Alencar Lima foi preso em novembro de 1969, acusado de oferecer infra-estrutura a Carlos Marighela, Tito é submetido a palmatória e choques elétricos, no Deops, em companhia de seus confrades.

Em fevereiro do ano seguinte, quando já se encontra em mãos da Justiça Militar, é retirado do presídio Tiradentes e levado para a Operação Bandeirantes, mas tarde conhecida como DOI-Codi, à rua Tutóia.

Durante três dias, batem sua cabeça na parede, queimam sua pele com brasa de cigarros e dão-lhe choques por todo o corpo, em espeical na boca "para receber a hóstia" , gritam os algozes.

Fernando Gabeira preso ao lado tudo percebe. Querem que Tito denuncie quem o ajudou a conseguir o sítio de Ibiúna para o Congresso da UNE (União Nacional dos Estudantes) em 1968, e assine depoimento atestando que dominicanos participaram de assaltos a bancos.

No limite da sua resistência, Tito corta com gilete que lhe emprestaram para fazer a barba, a artéria interna do cotovelo esquerdo. É socorrido a tempo no hospital militar, do Cambuci. As incessantes torturas não abrem a boca do frade de 28 anos, mas lhe cindem a alma.

Cumpre-se a profecia do capitão Albernaz, da Oban: "Se não falar, será quebrado por dentro , pois sabemos fazer as coisas sem deixar marcas vísiveis. Se sobreviver, jamais esquecerá o preço da valentia" .

Em dezembro de 1970, incluído na lista de presos políticos trocados pelo embaixador suíço Giovane Bucher, sequestrado pela VPR de Lamarca, Tito é banido do Brasil pelo governo Médici.

De Santiago do Chile ruma para Paris, sem jamais recuperar sua harmonia interior. Nas ruas da capital francesa ele "vê" o espectro de seus toruradores. ...contorce-se em calafrios sob o fantasma o delegado Fleury.

Sua mente naufraga em delírios. No dia 10 de agosto de 1974, um estranho silêncio paira sob o céu azul do verão francês, envolvendo folhas, ventos, flores e pássaros. Nada se move. Entre o Céu e a Terra, sob a copa de um álamo, balança o corpo de Frei Tito dependurado numa corda.

Do outro lado da vida ele encontrara a unidade perdida. Deixa registrado em seus papéis que

"é melhor morrer do que perder a vida".

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Jura secreta 118

essa estrada que vai dar no mar dos teus mistérios ou essa estrada que vai dar no mar dos teus silêncios ou apenas o caminho para o mar na coluna vertebraldos teus suplícios ou o poema puro ofício de te oferecer amor, meu vício e te querer estrada. sim.

eupoderia abrir teu corpo com os meus dentes rasgar panos e sedas da tua cama arrancar os cobertores desatar todos os nós com as unhas arranhar os teus pudores rasgando as rendas dos lençóis

perpetuar a ferro e fogo minhas marcas no teu útero meus desejos imorais mal/dizendo a hora soberana com a força sobre/humana dos mortais quando vens me oferecer migalha e fruto como quem dá de comer aos animais

arturgomes http://carnavalhagumes.blogspot.com/

O mundo que venci deu-me um amor

Se for poema fogo do desejo

A lavra da palavra quero
quando for pluma
mesmo sendo espora
felicidade uma palavra
onde a lavra explora
se é saudade dói mas não demora
e sendo fauna linda como a flora
lua Luanda vem não vá embora
se for poema fogo do desejo
quando for beijo que seja como agora

arturgomes
http://pelegrafia.blogspot.com/

Goytacá Boy

Goytacá Boy

ando por são Paulo meio Araraquara a pele índia do meu corpo concha de sangue em tua veia sangrada ao sol na carne clara juntei meu goytacá teu guarani tupy or not tupy não foi a língua que ouviem tua boca cayçara

para falar para lamber para lembrar da sua língua arco íris litoral como colar de uiara é que eu choco como a chuva curuminha mineral da mais profunda lágrima que mãe chorara

para roçar para provar para tocar na sua pele urucun de carne e osso a minha língua tara sonha cumer do teu almoço e ainda como um doido curuminha a lamber o chão que restou da Guanabara

ReVirando a Tropicália

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

a flor da pele

a flor da pele


pontal.foto.grafia

Aqui,redes em pânico
pescam esqueletos no mar
esquadras – descobrimento
espinhas de peixe convento
cabrálias esperas relento
escamas secas no prato
e um cheiro podre no
AR

caranguejos explodem mangues em pólvora
Ovo de Colombo quebrado
areia branca inferno livre
Rimbaud - África virgem –
carne na cruz dos escombros
trapos balançam varais
telhados bóiam nas ondas
tijolos afundando náufragos
último suspiro da bomba
na boca incerta da barra
esgoto fétido do mundo
grafando lentes na marra
imagens daqui saqueadas
Jerusalém pagã visitada
Atafona.Pontal.Grussaí
as crianças são testemunhas:
Jesus Cristo não passou por aqui

Miles Davis fisgou na agulha
Oscar no foco de palha
cobra de vidro sangue na fagulha
carne de peixe maracangalha
que mar eu bebo na telha
que a minha língua não tralha?
penúltima dose de pólvora
palmeira subindo a maralha
punhal trincheira na trilha
cortando o pano a navalha
fatal daqui Pernambuco
Atafona.Pontal.Grussaí
as crianças são testemunhas:
Mallarmè passou por aqui

bebo teu fato em fogo
punhal na ova do bar
palhoças ao sol fevereiro
aluga-se teu brejo no mar
o preço nem Deus nem sabre
sementes de bagre no porto
a porca no sujo quintal
plástico de lixo nos mangues
que mar eu bebo afinal?

Artur Gomes
In carNAvalha Gumes
http://goytacity.blogspot.com/

Viagem interpoética


entredentes 3

olhei a cara do tempo
ela estava fechada não me dizia nada
pensei as sagaranagens
qaue o tempo fazia comigo

peguei do tempo o umbigo
cortei na ponta da faca
e a tua cara de vaca
sangrei sem nenhum remorso
porque isso o tempo não tem

agora o tempo sorri
me mostras os dentes da boca
e a tua cara de loca
é a minhafcara também

A lavra da palavra quero


a lavra da palavra quero
quando for pluma
mesmo sendo espora
felicidade uma plavra
onde a lavra mora

se é saudade dói mas não demora
e sendo fauna linda como a flora
lua luanda vem não vá embora

se for poema fogo do desejo
quando for beijo que seja como agora

Porrada llírica


bolero blue

beber desse conhac
em tua boca
para matar a febre entre os dentes
indecente é a forma que te bebo
como ou calo
e se não falo quando quero
na balada ou no bolero
não é por falta de desejo
é que a fome desse beijo
furta qualquer outra palavra presa
como caça indefesa
dentro da carne quando sai