sábado, 16 de outubro de 2010

porque hoje é sábado

algazarra


esfinge


o amor não e apenas um nome
que anda por sobre a pele
um dia falo letra por letra
no outro calo fome por fome
é que a pele do teu nome
consome a flor da minha pele

cravado espinho na chaga
como marca cicatriz
eu sou ator ela esfinge
clarisse/beatriz

assim vivemos cantando
fingindo que somos decentes
para esconder o sagrado
em nosso profanos segredos
se um dia falta coragem
a noite sobra do medo

é que na sombra da tatuagem
sinal enfim permanente
ficou pregando uma peça
em nosso passado presente

o nome tem seus mistérios
que se esconde sob panos
o sol e claro quando não chove
o sal e bom quando de leve
para adoçar desenganos
na língua na boca na neve
o mar que vai e vem não tem volta

o amor é a coisa mais torta
que mora lá dentro de mim
teu céu da boca e a porta
onde o poema não tem fim

artur gomes
http://juras-secretas.blogspot.com/


O resultado do Datafolha não é igual e tem a ver com a militância


O resultado do Datafolha que mantém os 54% a 46% dos votos válidos da pesquisa anterior não significa que nada mudou nesta semana que passou.
Ao contrário, leitores, ao contrário. Ele mede apenas dois pontos.

Mas no percurso entre esses dois pontos cuja distância é de uma semana, muita coisa aconteceu.
Serra cresceu sem parar na semana passada e o Datafolha acusou isso no sábado passado, quando registrou o mesmo resultado de hoje nos votos válidos, que agora é o que importa.
E Serra continuou crescendo até segunda-feira, quando praticamente empatou com Dilma nos trackings.

Depois Dilma voltou a crescer e o o tucano a cair. Agora o Datafolha, que foi às ruas na quinta e na sexta, apontou o mesmo resultado da semana passada.
Mas durante a semana houve uma inverção de tendência.

Ou seja, a campanha de Dilma acertou o tom quando entrou no debate das privatizações. Tom, aliás, que se iniciou no debate da Band no domingo, com Dilma indo pra cima de Serra.
E os trackings de hoje Dilma já mostraram Dilma com 55 e Serra com 45, uma diferença de 10 pontos.

Ainda há muita eleição pela frente. Mas em campanha inverter a tendência é algo fundamental.
E a campanha de Dilma conseguiu fazê-lo na hora certa.

Há méritos dos marqueteiros e da direção política, mas na opinião modesta deste blogueiro essa inverção de tendência se deve em muito aos milhões de brasileiros que assumiram a luta e foram disputar o voto para Dilma.

O que aconteceu nesta semana que está terminando em relação à militância de apoio a Dilma é algo inédito. Merece registro e um estudo de caso.

E pelo que já sei do que está programado para a semana que entra, acho que essa vai ser a campanha da militância. Ela vai ser mais determinante, por incrível que pareça, do que foi nas duas vitórias de Lula.

By: Blog do Rovai

Nenhum comentário:

Postar um comentário