quinta-feira, 28 de julho de 2011

portal fulinaíma informa


Riverdies dia 7 de agosto no Café Aurora em São Paulo:
 R. Treze de Maio, 112 – Bixiga São Paulo, Brazil
Independen-SE Rock Fest


Das 116 às 23 horas.
Leia mais aqui

As relações de Jaqueline Serávia e Hayan Rúbia nos tempos da Faculdade
Leia mais aqui


artur gomes
fulinaíma produções
(22)9815-1266

segunda-feira, 25 de julho de 2011

projeto multi mídia - cine vídeo


O IFF Instituto Federal Fluminense Campi-Centro, Campos dos Goytacazes, (Rua Dr. Siqueira, 273), lança na próxima segunda 1 de agosto, o projeto Cine Vídeo, com o objetivo de desenvolver com Oficinas, Mostras e Festivais de Curtas, a criatividade dos estudantes da instituição na área do áudio visual.

A  idealização e coordenação do projeto é do poeta, ator e vídeo maker Artur Gomes.

Leia mais aqui

SagaraNAgens Fulinaímicas
guima
meu mestre guima
em mil perdões
eu vos peço
por esta obra encarnada
nacarne cabra da peste
da hygia ferreira bem casta
aqui nas bandas do leste
a fome de carne é madrasta

ave palavra profana
cabala que vos fazia
veredas em mais sagaranas
a morte em vidas severinas
tal qual antropofagia
teu grande serTão vou cumer

nem joão cabral severino
nem virgulino de matraca
nem meu padrinho de pia
me ensinou usar faca
ou da palavra o fazer

a ferramenta que afino
roubei do meste drummundo
que o diabo giramundo
é o Narciso do meu Ser


artur gomes
(22)9815-1266

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Mauro Santayna: É preciso reagir enquanto ainda há tempo

Santayana – Perigos do retrocesso

É preciso que trabalhadores e estudantes tenham consciência de que lutar contra as novas privatizações não é ir contra o projeto de governo da presidenta Dilma Rousseff, mas sim apoio.

por Mauro Santayana, na Rede Brasil Atual

Há algumas atitudes do governo que começam a preocupar os setores mais sensatos da intelectualidade e dos meios sindicais brasileiros. É notória a pressão que vem sofrendo a presidenta Dilma Rousseff para que se desvie de seu projeto de combater as desigualdades, internas e entre as nações. Como sempre, querem que o governo governe “para o mercado”, e não para o povo. Foi importante, e politicamente natural, que as organizações populares dessem todo o seu apoio ao presidente Lula, e aceitassem alguns sacrifícios, em nome da estabilidade governamental.

Os sindicatos admitiram que o governo convocasse grandes empresários nacionais a fim de constituir um conselho – extraconstitucional – para assessorar a administração, no qual os trabalhadores não tinham peso equivalente. Da mesma forma, eles admitiram alianças para que o presidente da República pudesse dispor de maioria no Congresso Nacional. Mas, agora, é importante que os trabalhadores e os jovens exerçam sua vigilância e se manifestem, porque, sob o disfarce do entendimento nacional, as mesmas forças entreguistas de sempre voltam a se articular para a retomada do processo de privatizações.

Essa mobilização reúne a grande imprensa, banqueiros e empresários associados a multinacionais e agências de governos estrangeiros. O objetivo é impedir o cumprimento do grande projeto nacional de desenvolvimento soberano, iniciado por Vargas, continuado por Juscelino e, façamos justiça, mantido pelo general Geisel. As mesmas forças que criaram e nutriram, enquanto puderam, o governo entreguista de Collor e o de Fernando Henrique, aproveitando-se do silêncio das forças populares, avançam agora sobre o governo Dilma Rousseff.

São inquietantes os sinais. O governo parece ter recuado da necessária reconstrução da Telebrás. Qualquer pessoa de bom senso sabe que as chamadas vantagens da privatização da telefonia constituem uma falácia. O desenvolvimento da tecnologia das comunicações eletrônicas (para o qual contribuímos, com as pesquisas avançadas, feitas por engenheiros brasileiros) possibilitou a redução dos custos dos aparelhos e dos sistemas operacionais, com imensos lucros para as empresas, fossem elas estatais, fossem privadas. O que fez com que os celulares se tornassem tão baratos não foi a privatização, foi a tecnologia. Na China, onde todas as grandes empresas estão sob o controle do Estado, há tantos celulares como no Brasil – e fabricados lá mesmo.

O sistema Telebrás, mantido sob controle público, seria hoje um dos maiores conglomerados do mundo e estaria ajudando nossos vizinhos a desenvolver os próprios projetos. Os grandes lucros auferidos pelas empresas estrangeiras – hoje enviados para o exterior – estariam promovendo o desenvolvimento tecnológico nacional e criando mais empregos entre nós. Além da grossa corrupção que houve nas privatizações, o negócio, do ponto de vista da economia nacional, foi um desastre. Iniciamos o processo no governo FHC com uma dívida pública de US$ 60 bilhões e o encerramos com mais de US$ 700 bilhões.

É preciso que os trabalhadores e estudantes tenham consciência de que lutar contra as novas privatizações não é ir contra o projeto de governo da presidenta Dilma, mas sim em seu apoio. Argumentam alguns que a urgência reclama a privatização de certas obras e serviços. Juscelino foi acossado pela mesma urgência, que foi a de contrair o tempo, realizando em cinco anos o que levaria 50. Uma tática de JK foi criar grupos executivos, independentes da burocracia governamental e das pressões políticas. Vários desses grupos foram dirigidos por engenheiros militares, como o da implantação da indústria automobilística, sob a chefia do almirante Lúcio Meira. É preciso reagir, enquanto ainda há tempo.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

profanalha nu rio



foto: helô landim

Num domingo desses de sol de primavera, fui com minha amiga Helô Landim rever o Pontal em Atafona. Há algum tempo ir ao Pontal era ir beber uma gelada no Palafita do Espanhol ou no Bar do Ronaldo, ou comer uma muqueca no restaurante do Ricardinho. Hoje ir ao Pontal e não ir lá onde o rio Paraíba do Sul beija o oceano atlântico saboreando uma  loura gelada no Bar do Neivaldo não tem a mínima graça.

No vídeo aqui imagens captadas no Pontal por Helô e Federico Baudelaire, num instante em que Neivaldo preparava o seu café da manhã e um passeio com poesia ao vivo no Largo do Machado com imagens de Jiddu Saldanha ao som do meu brother de Brasília Engels Espíritos com o seu sopro selvagem.

Este poema foi publicado pela primeira vez na Antologia Transgressões Literárias, organizada por Deneval Siqueira Filho, provocando a ira de Arlete Sendra, para quem ele pode ser tudo menos poesia. E agora?

Profanalha NU Rio

a flecha de São Sebastião
como Ogum de pênis fala
perfura o corpo da Glória
das entranhas ao coração

do Catete ao Largo do Machado
onde aqui afora me ardo
como bardo do caos urbano
na velha aldeia carioca
sem nenhuma palavra bíblica
ou muito menos avaria

orgasmo é falo no centro
lá dentro da candelária

arturgomes

terça-feira, 19 de julho de 2011

Dilma afasta representante do PT no Ministério dos Transportes

O governo Dilma acertou o afastamento do diretor de Infraestrutura Rodoviária do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), Hideraldo Caron. Ele era o único indicado pelo PT na direção do órgão comandado pelo PR desde o governo Lula.


Nesta segunda-feira (18), o ministro Paulo Sérgio Passos (Transportes) voltou ao Planalto para uma nova reunião com a presidente Dilma Rousseff. Ficou acertado que ele fará uma lista com nomes técnicos para substituir os dirigentes afastados do ministério e do Dnit.

Segundo assessores do Planalto, Dilma quer anunciar a reestruturação no órgão já com os novos titulares. A decisão de afastar Caron se soma à pressão do PR para tirá-lo do cargo. O partido considerou sua saída "uma questão de honra", uma vez que outros nomes, indicados pela legenda, foram afastados acusados de envolvimento em denúncias de corrupção -incluindo o ex-ministro Alfredo Nascimento.

Caron é o responsável administrativo pelos aumentos nos valores de contratos de obras rodoviárias em andamento. O suposto descontrole na liberação de recursos adicionais para obras foi criticado pela presidente.

O Dnit tem sete cadeiras e é um órgão colegiado. As diretorias de Administração e Finanças e de Infraestrutura Aquaviária já estavam vagas antes da crise no órgão.

Já o diretor-geral, Luiz Pagot, um dos alvos das denúncias de superfaturamento e pagamento de propina no ministério, está em férias até o início de agosto. O Palácio do Planalto afirma que ele não retoma o cargo. O Planalto espera, ainda, que Caron e Pagot peçam demissão.
Afastamento
O diretor-executivo José Henrique Sadok de Sá, que substituía Pagot, foi afastado quando se soube que sua mulher, Ana Paula Araújo, é dona da Construtora Araújo, que assinou contratos para obras por meio de convênios com o próprio Dnit. A presidente ainda precisa definir o novo secretário-executivo do Ministério dos Transportes, que era ocupada por Passos, e o novo presidente da Valec (estatal de obras ferroviárias).

Na segunda, o governo publicou resolução que permite que um servidor técnico seja indicado para o lugar de Pagot enquanto o futuro diretor-geral do órgão não for sabatinado no Senado. O texto diz que, "em caso de impedimento ou vacância do diretor executivo, a indicação do substituto interino do diretor-geral será feita pelo ministro dos Transportes".

sexta-feira, 15 de julho de 2011

DENÚNCIA: Ator mineiro é vítima de racismo durante Festival de Teatro Universitário de Blumenau



O Ator Alexandre Sena em foto de seu álbum no Facebook
Ator mineiro é vítima de racismo durante Festival de Teatro Universitário de Blumenau
Do: Portal Radio Balaio

Ator, DJ e Designer, Alexandre de Sena, que faz parte do elenco de Congresso Internacional do Medo, do Grupo mineiro Espanca!, está em Blumenau participando do 24º Festival Internacional de Teatro Universitário – FITUB, promovido pela Universidade de Blumenau. O ator chegou a ser fortemente agredido por policiais militares que o chamaram de “negão”. Em seguida partiram para uma sessão de socos e pontapés.
Na noite desta terça-feira, depois de acompanhar a programação do festival, decidiu seguir com mais dois amigos para um posto de conveniência da cidade. Ao chegarem lá, perceberam que o local estava bastante movimentado e decidiram ficar. Cerca de 60 pessoas (entre artistas, professores e estudantes de teatro) compartilhavam desse espaço em perfeita harmonia, sem prejudicar a ordem local. A surpresa de todos veio com a chegada de uma viatura policial ao local. Os policiais ordenaram aos berros que todos deixassem aquele lugar imediatamente. Neste momento, o ator Alexandre de Sena aguardava em frente ao posto de gasolina dois amigos que teriam entrado na loja para comprar cervejas. Alexandre foi abordado por um dos policiais com os seguintes dizeres: “Vaza Negão! Vaza Negão!”. Alexandre apenas respondeu aos militares que estava aguardando dois amigos que teriam ido até a loja e argumentou que aquele não era o tratamento adequado a um cidadão de bem. Não satisfeitos com a resposta do ator, os policiais passaram a agredi-lo com uma sequência de tapas na cabeça, socos e pontapés. Um dos policiais ainda voltou ao carro para pegar uma arma. Alexandre chegou a ser agredido com várias coronhadas de escopeta. Logo em seguida, os policiais foram embora, como se nada tivesse acontecido.

Ao entrar em contato com o 190, Alexandre chegou a ser orientado a procurar a Corregedoria de Polícia no dia seguinte. Foi prontamente atendido pela Corregedoria, registrou a ocorrência e fará um exame de Corpo de Delito nesta quinta-feira pela manhã. A delegada que o recebeu, demonstrou extrema indignação com relação à postura dos policiais agressores. O ator sofreu várias escoriações pelo corpo e, de acordo com os médicos que o atenderam, um de seus tímpanos pode ter sido perfurado por causa das fortes pancadas durante a agressão.
Assustados com este episódio brutal e lamentável, representantes da classe artística presentes no 24º Festival Internacional de Teatro Universitário de Blumenau – FITUB, decidiram se organizar e irão promover nesta quinta-feira pela manhã uma caminhada na capital catarinense em prol da paz. Os manifestantes sairão às 09:00 do Teatro Carlos Gomes (Rua Quinze de Novembro, 1.181 – Centro) e seguirão até a sede do IML, onde Alexandre de Sena fará o exame de Corpo de Delito.

fonte: http://www.mariafro.com.br

quarta-feira, 13 de julho de 2011

III Festival Aberto de Poesia Falada de São Fidélis.




R$ 15.000,00 reais em Prêmios
A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de São Fidélis divulga o regulamento do III Festival Aberto de Poesia Falada que irá acontecer nos dias 16 e 17 de setembro de 2011. Os trabalhos poderão ser inscritos até o dia 20/08/11. Confira o regulamento.

PREMIAÇÃO:
1º Lugar – 5.000,00 (cinco mil reais)
2º Lugar – 4.000,00 (quatro mil reais)
3º Lugar – 3.000,00 (três mil reais)
Melhor Intérprete – 2.000,00 (dois mil reais)
Menção Honrosa – 1.000,00 (mil reais)
REGULAMENTO:
Realização – Secretaria Municipal de Cultura e Turismo – Prefeitura Municipal de São Fidélis
Modalidade: Poemas Livres (máximo 40 linhas) e Tema Livre
Das Inscrições:
Os trabalhos só poderão ser inscritos via correios e terão que ser postados até o dia 20 de agosto do ano em curso impreterivelmente.  Quaisquer trabalhos postados com data posterior serão desconsiderados.
Endereço para postagem:
Biblioteca Municipal Corina Peixoto de Araújo
Praça Guilherme Tito de Azevedo nº 135 – centro
CEP: 28400-000 – São Fidélis – RJ
Das Normas:
a)     Os concorrentes poderão participar com no máximo 03 (três) trabalhos.  Coloque em envelope maior (um para cada trabalho) o poema digitado em papel A4, em três vias, Times New Roman, corpo 12, usando pseudônimo.  Dentro desse envelope, colocar envelope menor (fechado) indicando externamente o Título do trabalho e pseudônimo, e, internamente em papel papel A4, identificação do concorrente: nome e endereço completos, telefone, assinatura e se (possível) e-mail.
b)     A4, identificação do concorrente: nome e endereço completos, telefone, assinatura e se (possível) e-mail.
c)     Os trabalhos deverão ser inéditos e não poderão ser divulgados por quaisquer meios total e parcialmente até a realização do Festival;
d)    Os trabalhos classificados e premiados poderão ser publicados de acordo com a organização do Festival;
e)     Serão selecionados 20 dos trabalhos inscritos, que serão apresentados (com interpretação) no dia 16/09;
f)      Dez trabalhos serão escolhidos para a grande final no dia 17/09, quando serão conhecidos os 03 (três) primeiros colocados, mais intérprete;
g)     Os autores dos trabalhos premiados, bem como os classificados autorizam sua publicação na forma que se fizer necessária;
h)    As decisões da Comissão Julgadora serão definitivas;
i)      Estarão em julgamento em cada trabalho, o conteúdo poético, a interpretação, a interação poesia, intérprete e público;
j)      Nenhuma divulgação relacionada a NÃO realização do evento deverá ser levada em consideração;
k)    A prefeitura municipal não se responsabilizará em nada, com transporte e hospedagem dos participantes.

Obs.: poetas inscritos e não residentes em São Fidélis, que não sejam intérpretes de suas poesia , ou que não tenha um intérprete a sua disposição, se desejar, caso alguma de suas poesias seja selecionada, pode autorizar a Secretaria de Cultura e Turismo de São Fidélis, para através de uma Oficina de Poesia Falada selecionar intérprete para sua poesia.

Informe-se/ Participe!
Telefone – (22) 2758 - 6829 e Celular (22) 9906 -6186  E-mail:culturaturismo.sf@hotmail.com ou fulinaima@gmail.com
Obs.: Funcionários da Secretaria de Cultrura e Turismo, membros da comissão organizadora não poderão participar do Festival apresentando seus trabalhos

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Crise na Itália provoca reunião de emergência da UE

A Itália é o mais novo alvo da pressão dos chamados mercados. Na sexta-feira, a bolsa de Milão caiu 3,3% e a taxa de risco subiu a um máximo de 247 pontos base, com os bancos a serem muito castigados. A Itália tem uma dívida pública que representava, no final de 2010, 119% do PIB. O presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, convocou uma reunião de emergência para esta segunda-feira em Bruxelas com os principais líderes da União Europeia. Na agenda está a a situação da Itália

O presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, convocou uma reunião de emergência para esta segunda-feira em Bruxelas com os principais líderes da União Europeia. Na agenda está a a situação da Itália, o mais novo alvo da pressão dos mercados, e o segundo plano de resgate da Grécia.

A reunião vai ocorrer antes do Ecofine e contará, de acordo com a agência Reuters, com a presença do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, do presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, e do comissário europeu para os Assuntos Económicos, Olli Rehn.

Itália na mira
A Itália é o mais novo alvo da pressão dos chamados mercados.

Na sexta-feira, a bolsa de Milão caiu 3,3% e a taxa de risco subiu a um máximo de 247 pontos base, com os bancos a serem muito castigados. A Itália tem uma dívida pública que representava, no final de 2010, 119% do PIB, segundo dados do Eurostat. Na semana passada, as agências de rating puseram o país em observação, afirmando a Standard & Poor's que a crise tinha feito gorar “todos os esforços italianos de consolidação fiscal realizados durante a última década", enquanto a Moody's punha em revisão o rating da Itália e de 16 entidades de crédito locais.

Os chamados “esforços de consolidação fiscal” começaram no ano passado com um primeiro plano de cortes de 21.500 bilhões de euros, que consistiu no congelamento dos salários dos funcionários públicos até 2012, a redução dos salários dos membros do governo, ajustes das verbas para as regiões e medidas para combater a evasão fiscal.

“Ele pensa que é um génio”
Agora, o governo foi mais longe e aprovou um novo plano de cortes no valor de 43 bilhões, que consiste em prolongar o congelamento dos salários, novos cortes de gastos e uma taxa sobre as transacções bancárias. Mas a crise política, que já levou Silvio Berlusconi a anunciar que não voltará a candidatar-se, irrompeu com força e veio ampliar as pressões das agências.

O próprio Berlusconi jogou lenha na fogueira ao atacar o seu próprio ministro da Economia, Giulio Tremonti, de quem disse: “Ele pensa que é um gênio e acredita que todos os demais são uns cretinos. Suporto-o porque conheço-o há muito tempo, e é preciso aceitar que ele é assim. Mas é o único que não faz jogo de equipe.”
Tremonti tem-se recusado a baixar impostos, o que é pedido pelo próprio Berlusconi e pelo líder da Liga Norte, Umberto Bossi, e pelo contrário vai aumentá-los.

O primeiro-ministro anunciou então que vai levar o novo plano ao Parlamento, para amenizá-lo um pouco. Foi o que bastou para despertar a ira das agências, que ameaçam baixar o rating da Itália, possivelmente em dois níveis.

Novo empréstimo à Grécia está parado
O outro problema é a Grécia, que só teve a crise adiada com a última parcela do empréstimo do ano passado. O novo empréstimo está parado, não há consenso nem clareza em relação a de onde vão sair os fundos, e as agências de rating já ameaçaram considerar o país em situação de não-pagamento se os bancos aceitarem uma reestruturação, mesmo que voluntária, da dívida.