fulinaíma

sexta-feira, 21 de março de 2014

quarta-feira, 19 de março de 2014

Canção amiga


Canção amiga


Eu preparo uma canção
em que minha mãe se reconheça,
todas as mães se reconheçam,
e que fale como dois olhos.

Caminho por uma rua
que passa em muitos países.
Se não me vêem, eu vejo
e saúdo velhos amigos.

Eu distribuo um segredo
como quem ama ou sorri.
no jeito mais natural
dois caminhos se procuram.

Minha vida, nossas vidas
formam um só diamante.
Aprendi novas palavras
E tornei outras mais belas.

Eu  preparo uma canção
que faça acordar os homens
e adormecer as crianças.



Carlos Drummond de Andrade

segunda-feira, 17 de março de 2014

Fulinaíma Sax Blues Poesia

                       FULINAÍMA PRODUÇÕES &
 Blog SHOW FRANCISCO apresentam:

FULINAÍMA SAX BLUES POESIA
Dia 1º de Abril 2014 – Local: Dona Baronesa 21h
e Dia 4 de Abril 21h no Rancho do Peixe – Santa Clara - SFI

1964 – 2014 – 50 Anos de Golpe Militar
– venha soltar seu poema preso


Artur Gomes - poesia: corpo e voz
Dalton Freire - sax e flauta
Reubes Pess - voz e violão
participação especial: Rapper Dizzy


1º de Abril

telefonaram-me
avisando-me que vinhas
na noite
uma estrela
ainda brigava
contra a escuridão
na rua sob patas
tombavam
homens indefesos
esperei-te 20 anos
e até hoje não vieste
à minha porta

- foi um puta golpe

Artur Gomes
In Suor & Cio – 1984
gravada no CD Fulinaíma Sax Blues Poesia – 2002
https://www.facebook.com/FulinaimaProducoes?fref=ts

oficina de poesia falada e produção de vídeo
https://www.facebook.com/oficinapoesiafalada?fref=ts 

                                      


 SENTENÇA

faz muito tempo que eu venho
nos currais deste comício,
dando mingau de farinha
pra mesma dor que me alinha
ao lamaçal do hospício.
e quem me cansa as canelas
é que me rouba a cadeira,
eu sou quem pula a traseira
e ainda paga a passagem,
eu sou um número ímpar
só pra sobrar na contagem.
por outro lado, em meu corpo,
há uma parte que insiste,
feito um caju que apodrece
mas a castanha resiste,
eu tenho os olhos na espreita
e os bolsos cheios de pedras,
eu sou quem não se conforma
com a sentença ou desfeita,
eu sou quem bagunça a norma,
eu sou quem morre e não deita.

Salgado Maranhão
Do livro: A Cor da Palavra
Prêmio da Academia Brasileira de Letras - 2011


Letrista. Poeta.Ainda adolescente, mudou-se com os irmãos e a mãe para Teresina.Escreveu artigos para um jornal local e conheceu Torquato Neto, que o incentivou a ir para o Rio de Janeiro, o que fez no ano de 1972. Estudou Comunicação na Pontifícia Universidade Católica (PUC). Leia mais sobre Salgado Maranhão.





  Metáfora


amor -  paixão é fome
fome paixão é fogo
fogo0 de amor é festa
festa fartura fruta
vamos comer enquanto resta

entre as folhas da sirigüela
como a lua da janela
tudo o que sei do amor
já aprendi com Ela

Artur Gomes




 

Metáfora 1


a fruta dentro da lata
a lata dentro da fruta
não era nada demais
apenas puta poema
apenas poema puta
a fruta comendo a lata
a lata comendo a fruta

Artur Gomes




Nos  Tempos da Foto Novela

 Aula de teatro (expressão corporal, atuação, fotografia, filmagem, redação, roteiro e produção).

o   O curso abordará os conceitos básicos da técnica fotográfica e audiovisuais, de utilização da câmera, discussão sobre fotógrafos renomados, conceitos básicos sobre a fotonovela e sua narrativa específica e as ferramentas para a criação de uma fotonovela.

.   Produção e edição de uma fotonovela.

.   Entrega de um DVD editado para cada aluno da turma.

·         Data: Abril a Junho – uma vez por semana (toda quinta-feira) – 3 horas por dia (15h às 18h).

.  Carga horária: 39 horas

·         Local: Espaço Multimídia/Sesc.

·         Público: Terceira Idade e Jovens – capacidade da turma = 45 participantes


Inscrições abertas no Sesc
Av Alberto Torres, 397 – Centro
(22) 2725-1210


Maiores informações
Fulinaíma Produções
(22)99815-1266